Erro de Cálculo: Cidadão detido em Munhamade não é homem da Renamo

em DESTAQUES/POLITICA por

Quelimane (Txopela) – Recentemente, vários órgãos de comunicação em Quelimane, publicaram notícia assegurando a qual, um homem teria sido detido numa perseguição com a PRM no posto Administrativo de Munhamade, distrito de Lugela, na sequência da tentativa de assalto do posto policial pelos homens armados da Renamo.
Segundo a polícia, o homem teria sido detido para que fosse averiguado e consequentemente apurar-se o porquê de os homens armados da Renamo, estarem a engendrar por ataques a postos policiais e cidadãos indefesos.img_4843
Volvidas cerca de duas semanas após as declarações, a reportagem do Jornal Txopela, procurou saber da polícia quais as possíveis pistas apuradas com o homem armado da Renamo detido.
Jacinto Félix, porta-voz da Polícia da República de Moçambique na Zambézia, explicou que aquele homem já foi colocado a fresco, ou seja, foi liberto, pelo que não se trata de homem armado da Renamo.
“Relativamente ao caso de Munhamade, em a Polícia avançava ter um detido na senda de troca de tiros, depois de varias investigações, o homem não revelou as informações que as Forças de Defesa e Segurança precisavam e acabaram libertando-o. Havia sido detido simplesmente para ser investigado e ele acabou recusando estas informações e disse que não era homem da Renamo e que não estava envolvido naquele caso de ataque ao posto policial”, – esclareceu.
Jacinto Félix, explicou ainda que não havia necessidade de mante-lo na cadeia, enquanto não se provou ser homem da Renamo.
Mas com que bases a polícia afirmou ser homem da Renamo ao ponto de detê-lo? A essa questão a fonte respondeu, “porque exatamente ele aparece naquele período que houve troca de tiros e a polícia de imediato suspeitou. Nós trabalhamos com variantes e dependemos da situação no terreno, e este foi identificado como cabecilha mas recusando as alegações não havia necessidade de continuarmos com este homem nas nossas celas, porque não sabíamos de que crime seria acusado”, – concluiu. (Jacinto Castiano)

Leia:  CRIME AMBIENTAL: População exige o encerramento da Fabrica ALIF QUÍMICA