CEO do Facebook pretende acabar com todas as doenças do mundo

em MUNDO por

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook pretende investir mais de $2,7 biliões de euros nos próximos 10 anos para a investigação científica da cura das doenças que mais afectam as pessoas actualmente.

Mark Zuckerberg, chief executive officer of Facebook Inc., speaks during the Facebook F8 Developers Conference in San Francisco, California, U.S., on Wednesday, March 25, 2015. Zuckerberg plans to unveil tools that let application makers reach the social network's audience while helping the company boost revenue. Photographer: David Paul Morris/Bloomberg via Getty Images

A doação será feita através da Fundação Zuckerberg Chan, a qual, Mark partilha com a sua esposa, Priscila Chan. A iniciativa do casal é de ajudar a criar ferramentas e tratamentos que ajudem na prevenção e cura de todas as doenças possíveis no mundo. O casal afirma que a sua inspiração é a sua filha, Max.

A grande decisão do casal Zuckerberg foi anunciada em um evento em São Francisco, EUA, acompanhado por um vídeo live no Facebook.

“A inovação científica é um esforço a longo termo. Planeamos investir milhões e milhões de dólares durante as próximas décadas”, afirmou o CEO da rede social. “Irá demorar anos até que as ferramentas estejam desenvolvidas e as consigamos aplicar. É difícil e precisamos de ser pacientes, mas é importante”, disse Mark.

“Ao longo da história da ciência, a maioria dos grandes avanços foram precedidas por invenções de novas tecnologias que nos ajudam a ver os problemas de forma diferente”, argumentou, citando como o telescópio, o microscópio e a sequência do ADN como exemplos.

“Hoje, apenas quatro tipos de doenças são a razão da maioria das mortes. Podemos conquistar progresso [no tratamento] de cada uma delas com a tecnologia certa”, acredita Mark Zuckerberg.

Para a caminhada essa caminhada espinhosa, Mark pretende trabalhar com os melhores cientistas e engenheiros que poder, de forma que em conjunto sejam capazes de construir novas ferramentas e tecnologias para acelerar o progresso científico e também alcançar tão importante e esperado marco.

Leia:  Nomeado novo ministro da Defesa britânico, após demissão por assédio sexual