Crise financeira afecta comércio em Alto-Molócuè

em DESTAQUES/ECONOMIA por

Actividades-Economicas-300x216 Crise financeira afecta comércio em Alto-Molócuè

Quelimane (Txopela)- Comerciantes do distrito municipal de Alto Molócuè na Zambézia ressentem-se da crise financeira que o país enfrenta e reclamam da queda na venda de seus excedentes agrícolas. São na maioria revendedores de produtos agrícolas daquela circunscrição que ouvidos pelo semanário TXOPELA, dizem que houve uma redução significativa no volume de vendas de produtos agrícolas neste ano, comparado ao ano passado, devido à queda do metical associada a actual conjuntura político-militar.

Isac Silva e Inoque Francisco, são unânimes em afirmar que embora Molocué seja um grande potencial na produção agrícola, o escoamento de produtos neste período em alusão esta a quem do desejável, facto que compromete duramente os negócios dos comerciantes locais. Pede-se igualmente uma acção energética por parte do governo nas negociações com a renamo com vista a por término a actual situação que segundo vaticinam em nada ajuda para o desenvolvimento.

Neste momento, está em curso a campanha de colheita e venda do feijão bóer, cada Sertório Fernando, Presidente do Município de Alto Molocue falando em exclusivo ao semanário TXOPELA, afiançou de que Alto-Molócuè é o celeiro da província da Zambézia e conta com três campanhas agrícolas anualmente sendo a primeira em Março em que se produz feijão Manteiga, segunda e terceira nos meses de Maio a Novembro respectivamente em que se produz feijão bóer e tomate. Apelou na ocasião aos empresários e demais sectores interessados em instalar fábricas de processamento como forma de explorar o rico manancial de produtos. Zito Ossumane

Leia:  Governo avança na fusão da MCEL e TDM