LIBERDADE & INDEPENDÊNCIA

“O assunto da minha nacionalidade foi do interesse político”

em POLITICA por

DAVOS-KLOSTERS/SWITZERLAND, 31JAN09 - Luisa Dias Diogo, Prime Minister of Mozambique captured during the session 'Completing the Malaria Mission' at the Annual Meeting 2009 of the World Economic Forum in Davos, Switzerland, January 31, 2009. Copyright by World Economic Forum swiss-image.ch/Photo by Michael Wuertenberg

“O papel dos jovens na promoção dos Direitos Humanos e Desenvolvimento” era o tema da intervenção da Luísa Diogo no primeiro dia do acampamento internacional de Direitos Humanos, cidadania e acesso à informação. A antiga primeira-ministra escalpelizou o tema até fartar (no sentido positivo) a plateia. Talvez seja por isso mesmo que na sessão de perguntas, a questão mais arrojada pouco tinha a ver com assunto em análise.

Foi o jornalista Armando Nenane que perguntou sobre o mérito do processo judicial instaurado contra os jornalistas do semanário Zambeze que questionaram, numa série de artigos publicados em 2008, a nacionalidade de Luísa Diogo, à época primeira-ministra. A pergunta “gelou” a sala, pois estava fora do perímetro do “politicamente correcto”. Mas a visada agradeceu a oportunidade de esclarecer o assunto e, na resposta, deixou claro que há muito que precisava de desabafar.

“Esse assunto de nacionalidade da primeira-ministra foi um assunto político. Era preciso parar alguém que estava a andar muito depressa”, defendeu-se, deixando escapar nas entrelinhas que o assunto visava travar a sua progressão política. A plateia reagiu como um misto de risos e aplausos. E ela prosseguiu: “Um indivíduo que entra para o Ministério das Finanças como técnica, era moçambicana; Rapidamente é chefe de secção, era moçambicana; Passa para chefe de repartição, era moçambicana; Passa a directora-adjunta, era moçambicana; directora nacional, era moçambicana; Vice-ministra de Plano e Finanças, era moçambicana; ministra de Plano e Finanças e primeira-ministra, era moçambicana: Quando ela está para terminar o mandato e já não se sabe o que fazer com ela, deixa de ser moçambicana”.

Luísa Diogo notabilizou-se no sector de Finanças durante a presidência de Joaquim Chissano, tendo chegado a acumular o cargo de ministra com o de primeira-ministra já nos últimos anos do último mandato. O país 

Leia:  Linhas Aéreas de Moçambique suspendem voos para Luanda
Ir para topo