Cooperação: Moçambique maior beneficiário da cooperação brasileira no mundo

em SOCIEDADE por

Mesa_que_presidiu__o_encontro_com_Embaixador_do_Brasil_e_CTAO embaixador da República do Brasil em Moçambique, Rodrigo Soares, manteve um encontro de trabalho, na quinta-feira, 14 de Julho, com a Confederação das Associações Económicas de Moçambique – CTA.
Durante o encontro, foram discutidos vários assuntos ligados à consolidação da cooperação bilateral entre Moçambique e Brasil no ramo empresarial.

No final, Rodrigo Soares referiu que o encontro de trabalho tinha por objectivo a preparação da vinda de uma delegação empresarial brasileira a Moçambique, bem como a ida de empresários moçambicanos ao Brasil.

“Também abordamos a próxima edição da Feira Internacional de Maputo – FACIM que terá lugar nos finais do mês de Agosto”, disse o embaixador, revelando que pediu a colaboração e a cooperação da CTA para que, durante a feira, haja melhor aproveitamento da vinda das empresas brasileiras.

Acerca do investimento brasileiro no nosso País, Rodrigo Soares assegurou que o mesmo é forte e bastante significativo, sendo que Moçambique é, actualmente, o maior beneficiário da cooperação brasileira no mundo.  “O investimento brasileiro atingiu o volume de quase 10 biliões de dólares norte-americanos, estando direccionado para as áreas de extracção mineral, construção civil e agropecuária”, avançou o diplomata, tendo reafirmado que do momento o objectivo é expandir esse investimento também para o sector do agro-processamento.

“O Brasil tem uma vasta experiência na agricultura e, tendo em conta que há muita terra fértil em Moçambique, poderemos ampliar a nossa importante presença para este sector vital da economia moçambicana”, garantiu.

O presidente da CTA, Rogério Manuel, disse, por sua vez, que o encontro havido durante a visita do diplomata foi bastante produtivo, na medida em que “falamos da cooperação que pretendemos manter entre a CTA e a embaixada do Brasil, tendo em vista a promoção do empresariado nacional e brasileiro nos negócios”.  “Discutimos, igualmente, alguns assuntos ligados à participação de empresas nacionais em grandes projectos brasileiros dentro do território nacional”, referiu Rogério Manuel, que também considerou “bastante forte a presença do Brasil em Moçambique”.
“Se olharmos para aquilo que é o investimento das empresas brasileiras em Moçambique, veremos que é significativo, com uma experiência e financiamento ao nosso Governo elevadíssimos”, concluiu. FDS

Leia:  Centro de Integridade Publica acusa a PRM de limitar o exercício da cidadania